A Importância das Proteínas para os Atletas

Segundo a Dra. Silvia Elena Mantovani – Especialista em Fisiologia do Exercício pela EPM e Nutricionista da Probiótica – Nutrição Esportiva, é importante para os atletas conhecerem os alimentos e seus benefícios, junto com atividade física ter um melhor aproveitamento e proporcionar quantidades ideais de energia para o organismo.

A Importância das Proteínas para os Atletas

Carboidratos, Proteínas, Vitaminas e Minerais devem estar presentes na dieta do atleta.

A principal fonte de energia são os alimentos ricos em Carboidratos como cereais, massas, pães, batata e mandioca, arroz e frutas.

A construção e reparo dos tecidos são promovidos pelos alimentos ricos em Proteínas como as carnes, o leite e seus derivados (queijos e iogurtes) e os ovos.

As frutas e verduras são fontes de Vitaminas e Minerais, que desempenham papéis importantes facilitando a transferência de energia e a síntese dos tecidos, além de serem anti-oxidantes previnindo o envelhecimento das células.

Estes são os 3 principais grupos, conhecidos como Energéticos, Construtores e Reguladores, e cada refeição deve conter um ou mais alimentos desses grupos gerando assim um equilíbrio nutricional.

Comer uma ampla variedade de alimentos é muito importante, pois nenhum alimento pode oferecer todos os nutrientes necessários.

Uma dieta com alto teor de Carboidratos complexos e baixo teor de gordura beneficia o atleta. O consumo de Carboidratos antes e durante atividades de longa duração mantém o estoque adequado de glicogênio (energia armazenada).

Atletas de força precisam de quantidades ideais de Proteínas, que pode variar de 1,0g/kg peso/dia a até 2,0 ou 2,5g/kg peso/dia dependendo da intensidade dos exercícios. Deve-se ingerir água até em média 2 horas de exercício, se este se estender, a hidratação com o consumo de soluções isotônicas torna-se mais eficiente.

Vitaminas C, E, A e do complexo B e Minerais como potássio, sódio, ferro, zinco devem ser bastante consumidos por praticantes de atividade física. Óleos e gorduras em geral, também são importantes para o organismo fornecendo energia, mas devem ser consumidos moderadamente.

Para atletas a finalidade da refeição que precede uma competição compreende 5 fatores básicos:

  • – Maximizar os depósitos de glicogênio,
  • – Minimizar a digestão durante a competição,
  • – Evitar a fome,
  • – Fornecer fluidos,
  • – Evitar o desconforto gástrico.

Os alimentos conseguem suprir as necessidades de nutrientes mas, dependendo da necessidade calórica ou mesmo da disponibilidade em fazer todas as refeições de forma adequada, por isso algumas pessoas optam por suplementos alimentares, que oferecem boas alternativas para se alimentar bem de forma prática e saudável.

Atualmente há uma grande vantagem de adquirir as proteínas na forma de suplementação (Conheça o suplemento Super Turbo Max), pois a mesma conta com isenção de carboidratos, gorduras e outros nutrientes não compatíveis com o processo de modelação corporal, entretanto existem alimentos ricos em proteínas que podem não interferir de maneira negativa em qualquer dieta.

Dentre os vinte aminoácidos do nosso corpo, nove deles não são produzidos pelo o organismo, estes que devem ser repostos pela alimentação. A proteína animal é a melhor alternativa para a obtenção destes aminoácidos. Proteínas vegetais, como feijões e lentilhas, possuem pouca quantidade de aminoácidos fundamentais.

As fontes vegetais de proteína fornecem outros nutrientes importantes. Os carboidratos e fitoquímicos são alguns destes, auxiliando a prevenir doenças. Como acréscimo, os vegetais são fontes em fibras alimentares. Rica em ferro, zinco e vitaminas do tipo B, a proteína animal pode ser encontrada em carnes, ovos e laticínios. Feijões, lentilhas, soja e amendoim são fontes de proteína vegetal.

Para hipertrofia muscular, o mais importante é o carboidrato, e não a proteína, como muitos pensam devido ao músculo ser formado basicamente por proteína. O motivo é simples: o carboidrato é o nutriente essencial para manter um estado anabólico no nosso corpo, ou seja, um estado em que formamos tecidos (nesse caso em particular me refiro ao tecido muscular).

Tudo isso porque o carboidrato (glicose) é a forma que preferencialmente fornece energia para nosso corpo. Sem carboidrato, nós passamos a utilizar proteína como fonte de energia, aumentando a formação de produtos tóxicos no nosso organismo, que leva a uma série de consequências negativas na nossa saúde como cetoacidose, inflamação e até mesmo hipoidratação.

Além disso, o carboidrato é essencial para um potente estímulo à insulina, um hormônio essencial para anabolismo muscular por participar da ativação da síntese proteica muscular.